#arte para inspirar: felicidade clandestina

Scroll down to content

Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil.

Clarice Lispector (da obra ‘Felicidade Clandestina’)

love-1731755_1920

foto: reprodução/Pixabay by Pixel2013

%d blogueiros gostam disto: